O controle insulínico como coadjuvante no emagrecimento

Desde que eu comecei a estudar a fundo o estilo paleo e torná-lo como hábito alimentar oficial, pude diversas vezes indagar a respeito do rápido emagrecimento que ele causa.

A princípio eu acreditava, de forma ignorante, que o emagrecimento se dava pelo fator de simplesmente estar com baixos carboidratos e as proteínas e gorduras altas. Parecia um tanto óbvio tal associação, porém com o desenrolar dos estudos e a vivência, pude perceber que a coisa vai muito além disso. Observei que não existe nenhum bicho de sete cabeças e que tudo parece girar em torno de uma única coisa.

Sabendo disto, fui me aprofundando e pude ver como simples mudanças em nossos hábitos alimentares fazem uma diferença enorme quando se trata de emagrecimento.

Falando da insulina

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas e possui a função de controlar os níveis açúcar no sangue. Quando ocorre um aumento significativo de açúcar na corrente sanguínea, este hormônio (insulina) entra em cena e vai “derrubando” os níveis de açúcar até que tudo se estabilize.

O funcionamento é bem simples, porém ocorre um série de reações dentro do nosso metabolismo celular, que de fato são muito importantes para a nossa sobrevivência.

As nossas células possuem “portas de entrada”, ou seja, para que os nutrientes penetrem nelas, é necessário uma abertura, e adivinha quem tem a chave? Isso mesmo. A insulina!

Ela detém a responsabilidade de abrir estas células para que o nosso corpo sintetize proteínas a partir dos aminoácidos, crie energia através das gorduras e por aí vai.

É assim que o nosso metabolismo funciona. Em um sistema otimizado onde um hormônio possui a responsabilidade de dar um grande passo em todo o procedimento.

Onde mora o problema?

Bem, não quero questionar os diversos fatores que levam os seres humanos a se tornarem “formigas”. Pessoas que colocam açúcar em tudo, seja por vício alimentar, compulsão, descontrole ou mesmo por desinteresse em escolher seus alimentos.

Muito destes problemas (assunto para depois) são provenientes de diversos fatores psicológicos ou que (se tornaram um), devem ser tratados com os profissionais adequados que irão analisar as causas e dar um novo rumo para a cura e/ou tratamento adequado.

Quando falamos apenas de pessoas obesas, gordinhas ou pessoas que apenas não conseguem atingir o peso que desejam, mesmo sendo aquelas que não se encontram com sobrepeso, o assunto se torna mais simples e  fácil de contornar.

Vamos então observar o funcionamento do “sistema”.

Como pode ser visto, a insulina tem um efeito sobre uma série de células, incluindo musculares, células vermelhas do sangue e as células de gordura. Em resposta à insulina, estas células absorvem a glicose que tem o efeito líquido na redução dos níveis elevados no sangue em seu intervalo normal.

Quando a glicose no sangue cai, no entanto, (como entre as refeições e durante o exercício) mais e mais glucagon é secretado. Assim como a insulina, glucagon tem um efeito sobre muitas células do corpo, porém mais notavelmente no fígado.

O Papel do glucagon no controle glicêmico

O efeito do glucagon é fazer com que o fígado libere a glucose que tem armazenada nas suas células para a corrente sanguínea, sendo o efeito líquido do aumento da glucose no sangue. O glucagon também induz o fígado (e algumas outras células tais como as musculares) a produzir glicose fora dos blocos de construção obtidos a partir de outros nutrientes que se encontram no corpo (por exemplo, proteína – Evitando o catabolismo ou perda de massa magra).

A partir daí fica muito mais fácil compreender e adaptar a nossa alimentação a favor do nosso emagrecimento, bastando apenas conhecermos os alimentos ideais para que tudo ocorra em sua plenitude.

O estilo Paleo e a sua eficiência

Quando adotamos o estilo paleo como nosso hábito alimentar, tudo muda de figura.

Porque isso acontece? Se pararmos para analisar, tudo que comemos dentro da Paleo possui uma base rica em nutrientes (vitaminas, minerais, gorduras boas e carboidratos de boa qualidade). Daí vem todo o diferencial!

A partir do momento que damos ao nosso corpo alimentos que possuem uma complexidade de nutrientes, o nosso metabolismo além de funcionar adequadamente, todo aquele sistema que foi dito lá em cima a respeito da insulina, passa a favorecer em tudo para a perda de gorduras e controle de peso.

Citarei um exemplo

Caso 1:

Silvana é uma mulher que está com seus 36 anos e se encontrava acima do peso, considerando ser sedentária. Não apresentava diabetes, porém alterações de pressão arterial eram recorrentes devido os hábitos alimentares e a gordura localizada; principalmente abdominal. Ela vinha apresentando dificuldades para perder peso de forma gradual e saudável, justamente por que seguia os mais variados tipos de dietas milagrosas. Vivia então em um efeito sanfona, com instabilidade de humor, descontrole hormonal, intestino desregulado e passava por diversos momentos de fome insustentáveis.

Quando descobriu a Paleo, a pessoa que a acompanhava, primeiramente controlou a sua insulina cortando os açúcares simples, trigo e alimentos que possuíssem em seu conteúdo estes dois elementos anteriores (Refrigerantes, sucos em caixa, congelados, massas prontas, etc), retirando também os grãos. Limitou a sua ingestão inicial diária de carboidratos como forma de adaptação em 100g, sendo estes raízes e provenientes de alguns legumes, dando preferência a uma única porção a noite.

Você pode se perguntar: A noite? Dizem que a noite não devemos comer carboidratos. Respondo: Puro Mito!

Nosso corpo não assimila desta forma as informações alimentares. O que ocorreu é que com a ausência dos carbos durante o dia, a sua insulina parou de flutuar, controlando assim seu apetite e a ansiedade para comer ainda mais açúcar, onde iria piorar ainda mais o quadro. Agora Silvana conta somente com a energia que o nosso corpo necessita e entende, que são as boas fontes de gorduras, as proteínas para os músculos e os carbos essenciais sobre controle.

Ela passou a comer em suas refeições muitas verduras que são ricas em fibras e que ajudam também a saciar mais rápido a fome, juntamente com as proteínas e gorduras ( sejam elas: carne vermelha, frango, porco, peixes, ovos inteiros, etc).

A observação foi que não houve contagem de calorias e nem existiram períodos para comer (3 em 3 horas), ou seja, comia-se até saciar a fome na quantidade que lhe fosse necessário. Voltava a comer quando a fome retornasse fazendo o mesmo sistema variando apenas os alimentos.

E quais foram os resultados?

Na primeira semana de adaptação, digamos que houveram momentos em que o organismo devido estar acostumado com os açúcares simples, sentira uma certa abstinência. Isso mesmo! No início sua ausência funciona como droga e gera alguns efeitos indesejáveis como dores de cabeça, tonturas e mal estar. Portanto para isso, foi dada a permissão para que quando isso ocorresse, fosse ingerido uma fruta que contém uma quantidade alta de frutose, que nada mais é que um açúcar simples (por isso cautela com as frutas quando objetivo é perder gorduras). Sentindo o organismo se estabilizar após ingerir a porção de frutose, dava-se continuidade ao processo.

No final da segunda semana, a necessidade de ingerir carboidratos já era bem reduzida, sentindo uma saciedade maior e mais energia física e mental, pois os picos de insulina já estavam estabilizados sem sofrer as antigas flutuações.

Após o período de 1 mês, os edemas e inchaços já haviam sumido por completo e a aparência de um rosto mais fino e um abdômen mais baixo eram visíveis.

Após o período de 8 a 12 semanas, a perda de peso foi considerável, atingindo cerca de 8 a 10 kg, com redução das medidas abdominais e em toda área que havia excesso de gorduras localizadas, como por exemplo, os quadris.

O emagrecimento era aparente, sem contar com os inúmero benefícios a saúde que foram comprovados com diversos exames de sangue em geral.

Após a perda de gorduras, a estabilidade do peso e o hábito Paleo já estabelecido, podemos considerar algumas alterações na ingestão dos carboidratos fazendo uma adaptação para um ganho gradual de massa magra sem o medo de engordar novamente.

A grande vantagem para quem emagrece através do estilo Paleo e o mantém em suas vidas, é que mesmo após o aumento significativo dos carboidratos, e ainda que, de vez em quando comer algo fora do que é permitido (Período 80-20), a possibilidade de engordar novamente é remota, salvo se a pessoa mantiver os alimentos indicados.

Conclusão:

Podemos concluir que, basicamente o segredo em estabelecer resultados é tão somente estabilizar os níveis de insulina e a ingestão de carbos, de acordo com o objetivo central.

Usar a criatividade é fundamental na hora de preparar suas receitas (confira aqui uma boa opção), além de se algo divertido, existem mil maneiras de preparar suas refeições de forma rápida e simples, com o mínimo de ingredientes e ainda ficar feliz com os resultados obtidos.

Acredito fielmente que quando as pessoas abandonarem de vez esta maneira “moderna” de se alimentar (grãos, embutidos, açúcares e refinados) e não acreditar mais nesta pirâmide alimentar que já foi abolida faz tempo, o nível de saúde e bem estar irá fluir de uma vez por todas na vida daqueles que decidirem voltar no tempo e ser totalmente Paleo.

Se você já iniciou, parabéns! Continue firme, conte comigo e siga a diante. Caso ainda não tenha tomado conhecimento sobre o estilo Paleo e este é o seu primeiro contato, leia as outras postagens, baixe os artigos e faça perguntas para quaisquer tipos de dúvidas. Terei o prazer em atendê-lo.

Desejo muito sucesso a todos!

Um grande abraço,

Marcio Roberto

Olá, me chamo Marcio Roberto. Sou pesquisador, orientador, educador e tenho formação na área de exatas. Praticante de atividades esportivas como Crossfit, musculação e treinos intervalados, utilizo o estilo alimentar Paleo/Primal onde obtive uma melhora fenomenal em minha qualidade de vida, além de aprender e praticar meios de nutrição e tudo que engloba saúde, beleza e bem estar. Apaixonado por novos aprendizados, busco sempre o aprimoramento pessoal através da ciência, compartilhando as novas descobertas com o intuito de ajudar as pessoas transformarem suas vidas.

Leave a Comment